Monitoramento e Gerenciamento de Dispositivos

Era uma vez, ambientes de TI relativamente simples. Eles consistiam em alguns servidores locais conectados a uma frota de PCs. O número de hosts na rede era comparativamente pequeno e as configurações de rede não eram particularmente complexas. Nem as necessidades de gerenciamento e monitoramento de dispositivos, que poderiam ser tratadas manualmente.

Esses dias acabaram. As empresas de hoje não dependem apenas de PCs e servidores físicos, mas também de uma variedade de máquinas virtuais baseadas em nuvem e serviços de armazenamento. Eles também costumam ter dispositivos móveis que se movem constantemente em suas redes. E as configurações de rede mudam constantemente conforme os dispositivos entram e saem offline.

Nesse tipo de ambiente, é fundamental implantar uma solução centralizada de monitoramento e gerenciamento de endpoint (dispositivos). O monitoramento de endpoint automatiza os processos de rastreamento, controle e proteção dos vários tipos de endpoints que existem nas redes de uma empresa.

Este artigo oferece uma introdução sobre monitoramento e gerenciamento de endpoint, incluindo o que significa e como abordá-lo.

O que é monitoramento e gerenciamento de endpoint?

O monitoramento e gerenciamento de endpoint é uma prática que ajuda a rastrear e controlar todos os endpoints (dispositivos) em uma rede.

Em redes modernas, os terminais podem ser dispositivos físicos, como PCs, servidores ou smartphones. Mas eles também podem ser entidades definidas por software, como máquinas virtuais ou gateways para serviços de armazenamento baseados em nuvem.

O monitoramento e gerenciamento de endpoint ajuda a equipe de TI a rastrear todos esses locais de rede e monitorar informações, como onde os endpoints estão localizados na rede, qual software está sendo executado em cada endpoint, quais portas de rede são expostas pelo endpoint e assim por diante.

Além de ajudar as empresas a manter a visibilidade de suas redes, o monitoramento e gerenciamento de endpoint ajuda a evitar interrupções nas operações de negócios (que podem ser causadas por eventos como a falta de conectividade para dispositivos móveis dos quais os funcionários dependem ), bem como identificar e prevenir problemas de segurança na rede (como um endpoint que possui portas abertas não seguras).

Baixe nosso Guia sobre Solução de Problemas de Rede para complementar sua leitura

Benefícios do monitoramento de endpoint

O monitoramento de endpoint eficaz oferece uma série de benefícios:

  • Segurança: o monitoramento de endpoint ajuda a detectar vulnerabilidades em dispositivos individuais. Se um dispositivo inseguro for encontrado, ele pode ser isolado de outros para evitar ataques potenciais.
  • Transparência de rede: com o monitoramento de endpoint, as empresas estão melhor posicionadas para entender o que está acontecendo em suas redes: quantos dispositivos existem, quais tipos de dispositivos são, com que frequência são usados, quanta largura de banda estão consumindo e assim por diante.
  • Provisionamento: Manter a visibilidade dos endpoints da rede pode ajudar as equipes de TI a integrar novos usuários e seus dispositivos associados. As equipes saberão qual sub-rede e endereço IP usar para um novo dispositivo, por exemplo.
  • Gerenciamento de IAM: o monitoramento de endpoint desempenha um papel no gerenciamento de identidade e acesso, ou IAM, ajudando as empresas a determinar quais usuários devem ter acesso a quais endpoints e quais níveis de acesso eles devem ter.

Considerações essenciais para monitoramento e gerenciamento de endpoint

Para obter o máximo do monitoramento e gerenciamento de endpoint, se esforce para os objetivos a seguir.

Visibilidade de endpoint completa

Obtenha o máximo de visibilidade possível nos endpoints, coletando todos os dados possíveis sobre cada endpoint – seja um dispositivo físico ou virtual. Saiba qual sistema operacional está sendo executado nele, quais aplicativos ou serviços ele hospeda, a quais outros terminais ele pode se conectar e assim por diante.

Seu objetivo deve ser obter uma compreensão clara de para que cada endpoint é usado, quem tem acesso a ele, se seu software está atualizado e qualquer outra informação funcional ou relacionada à segurança que o ajudará a monitorar o endpoint.

Endpoint Software Control

Determine qual software está sendo executado em nós de extremidade para detectar aplicativos ou serviços não autorizados. Além disso, você deve rastrear as versões de software desses aplicativos e serviços, para saber se estão desatualizados e sujeitos a vulnerabilidades de segurança em potencial.

Dispositivos inseguros devem ser forçados a sair da rede, ou pelo menos impedidos de se comunicar com o resto da rede, até que estejam seguros.

Para obter melhores resultados, você pode adotar uma política de “confiança zero”, o que significa que os novos dispositivos são considerados não confiáveis por padrão e a conectividade negada até que sejam determinados como seguros. Essa abordagem é mais segura do que confiar em endpoints por padrão e só mais tarde encontrar e isolar os inseguros.

Gerenciamento de ativos de TI

As ferramentas de monitoramento e gerenciamento de endpoint podem ajudar sua equipe a coletar dados sobre o estado de cada ativo de TI que podem ser úteis para fins de gerenciamento de ativos. Por exemplo, você pode acompanhar o status da licença de aplicativos em execução em terminais e monitorar a idade dos dispositivos de hardware. Essas informações o ajudarão a planejar as substituições.

Isso não significa que o monitoramento de endpoint sozinho deva ser a base de sua estratégia de gerenciamento de ativos de TI, mas pode ajudar.

Detecção de Ameaças

Os dados coletados de terminais e suas atividades podem ser usados para detectar ameaças. Por exemplo, padrões de tráfego de rede incomuns de um ponto de extremidade que historicamente se comportou de maneira diferente podem sinalizar abuso potencial.

Além disso, o rastreamento de endpoints e tráfego de rede associado o ajudará a determinar quantos dispositivos foram afetados no caso de ocorrer um incidente de segurança. Você também pode usar dados de endpoint para avaliar quantos dispositivos podem ser vulneráveis a certos ataques com base nos serviços de software que estão executando.

E se um ataque ao vivo estiver ocorrendo, você pode aproveitar as informações sobre a configuração do endpoint para isolar o ataque a uma parte da sua rede, bloqueando a conectividade com os endpoints afetados.

Relatórios e alertas

Os vários tipos de atividades descritos acima funcionam melhor quando você configura alertas automáticos para notificar sua equipe sobre possíveis problemas com terminais.

Você também pode gerar relatórios periódicos sobre o status da rede ou terminais individuais para rastrear padrões de rede ao longo do tempo e usar esses dados para dar suporte ao planejamento de capacidade. Os dados do relatório podem ser úteis se, por exemplo, você deseja determinar quantos dispositivos móveis operam na rede em diferentes horas do dia, ou se você precisa atualizar o equipamento de rede para acomodar aumentos contínuos no uso da largura de banda.

Conclusão

Em redes complexas, monitorar e gerenciar endpoints automaticamente é uma parte essencial de qualquer equipe de TI ou trabalho de MSP. Da segurança ao gerenciamento de ativos de TI e ao planejamento de capacidade, o monitoramento e gerenciamento de endpoint reforça uma variedade de fluxos de trabalho de TI importantes.

Write a comment